Verbo subcutâneo

noviembre 20, 2019 "AFLORISMOS"  No comments


Introduza-me um verbo subcutâneo. Uma cânula por baixo dos panos. Um poemário insano. Uma oda a todos os anos. Aos conjuros mais profanos. Onde arda a sede dos que se calam às tardes. Onde a conjugação seja em alto relevo. Ao panteão de Freya e todos os deuses. Onde a mente emudeça todos os dizeres. Introduza-me uma realidade paralela. Onde o teu ventre seja catapulta densa, mais além de porta ou janela.

 

                    Renata Vázquez

Leave a reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*