Transcender o Mundo.

enero 21, 2017 CrônicasPortuguês  No comments

diary

Às vezes, só preciso transcender o mundo e deixar minha história. Esquecer que desaprendo a cada vez que questiono. Entender que é mais árduo se considero que viver dá trabalho. E às vezes, só preciso transcender o óbvio – que há uma finitude em tudo – sobretudo na vida. Quase sempre opaca e até bidimensional. Estática para quem se deixa estancar no achismo de que tudo é tédio, e na verdade, o grande achismo é se achar livre de tudo. Ainda que isso implique livrar-se de um desejo que não te livra. Da querência. Então, que se plasme no livro,  a liberdade que precede a mente, a saudade que prejudica o dia… E a festa de despedida para pessoas que nunca conheci.

A vida não é o labirinto que nos contaram. É um imenso jogo de Tétris, onde você não tem tempo para pensar como as coisas melhor se encaixam. Apenas, seja rápido e tenha mil antenas e habilidades. Dê conta de tudo, mas sem compreender nada, principalmente todas as emoções engarrafadas ou engasgadas, ou quem sabe encasuladas que provavelmente não virarão borboletas. Digo sentimentos.

E hoje, me desafio. A ser um pouco melhor que eu mesma. Somente um capricho, um presente à novidade que prescinde desta existência, sana e externamente saltitante. A solidão é um estado mental. Não aflige, não espanta , é livre de medo. É um estado meditativo profundo. Um encontro com o melhor do espelho. E dar a mão para si mesmo, quando ninguém vier a lhe entender. E deixar que passem os estados de ânimo para transcender o mundo. E deixar historias, que desconstruam o aprendido, os mandamentos ou talvez os gêneros, especialmente os não literários.

E a página em branco por vezes, é a melhor amiga. Aquela que te olha e sempre te acolhe. E como um espelho mágico cria coisas, histórias e pessoas que  você passa  a conhecer. E que os outros chamam personagens.

Porque às vezes, só preciso transcender eu mesma. E contar histórias, para que me perca do conformismo de – não se conformar com nada e se confundir com tudo.

Leave a reply