Todos muito loucos. Somos.

marzo 27, 2019 CrônicasPortuguês  No comments

As pessoas estão muito loucas. E somos todos muito loucos. Explorando vielas e matizes. Que nos façam esgueirar de nossas próprias verdades. Nossas nuas densidades. Entre becos. Ou atalhos. Nos resvala um passe . À lucidez ingélida. Do deixar ser. Deixar nascer. Deixar fluir. Deixar. E seguimos todos muito loucos. Intoxicados pelas sombras no espelho , talvez refletido em um vitral. Ou por aquele coito paranormal. Uma epifania cósmica . De que a loucura generalizada é a anamnese perfeita.  E a mecha de cabelo, ou do fogo esparcido, seguirá apartada do fogo. Como oléo em agua com co-morbidades poéticas distintas. Como as tintas de uma mancha conjugal. Ou um nexo verbal não identificado . E seguiremos todos muito loucos. Engolindo. Sem digerir. Entendendo com neurônios o que só é inteligível à alma. Que se aquieta no nada. No escuro. De uma mente loucamente perene . Em uma sala de estar cerebral. Com muitas gavetas e historias de possibilidades . Ou vivências. Mas sem exigir respostas. Deixando todas as portas encostadas. Destrancadas. Ou semi abertas. 

Leave a reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*