membro tagged posts

Sedi-mento

noviembre 17, 2014 Poesia  5 comments

“Quando você tem fome …

De algo que este mundo diminuto não lhe dá

Quando o estômago pede luz e os olhos têm sede.

Quando o relógio se joga no mar…

E os minutos descompassam na sua órbita pessoal.

Isso não é nada pessoal. É impessoal,

como a imensidão de um verde olhar.

Quando narizes lhe  farejam , tentando o medo detectar….

Com minha sombra caminho, pisando forte e devagar.

Quando o vento te roça até arrepiar,

é arredo ou arrepio ou o destino a passar?

Quando as nuvens se fundem com os pensamentos

e o membro

cardíaco dança ao luar,

será pedra, será cimento

a cal que devemos usar?”

 

 

Leer más