O Universo sabe, desde o seu primeiro choro…

julio 16, 2014 CrônicasPortuguês  No comments

AOS CEGOS

Cada qual sabe onde lhe aperta o calo. E os sonhos que acalenta trancafiados nos bolsos enterrados do  dia-a-dia. De que serve  o tempo que gasta, ou gastaria levantando uma bandeira que diga “Olhe o meu valor”? Bullshit. Recicle, transmute.

O Universo sabe, desde o seu primeiro choro, o seu valor. O Cosmos espera que você abundantemente retribua o que lhe foi dado. Não é aos cegos que deves mostrar a jóia rara em estado de início de primavera que se avizinha. Esqueça os cegos. Muitas vidas virão, até que eles possam compreender metade do que dizes.

A você, consciente do valor próprio, mãos à obra, sonhos na mesa e fé no cérebro. Disciplina na cara e não esmorecer por terceiros, típicos ladrões de sonhos. Ou agentes que não toleram ver uma pessoa empoderar-se dos atributos que essa existência lhe deu.

Destaque suas metas; o relógio não tarda, a primavera logo chega. E preocupar-se com sentimentos alheios é necessidade de aprovação externa.

Em um mundo repleto de vazio existencial, deixar-se levar por críticas pueris demanda tempo e energia irrecuperáveis.

Recolha o que é seu, doe a quem merece e onde se floresce a semente mais pura. Não desperdice sua matéria-prima em vão, ou os tic-tacs do seu relógio em terreno arenoso ou pantanoso.  A vida passa, mas a obra fica. Então ;que seja rígida, inspiradora, tangível e retrate o seu valor. Mãos à obra!

 

 

 

Empoderar-se: Quando alguém toma posse do próprio poder intrínseco.

Foto e texto Renata Vazquez

 

Leave a reply