À melhor versão de si mesmo

diciembre 28, 2013 CrônicasPortuguês  No comments

roda Admire-se e aceite ser admirado. Aceite os ventos da bonança e reverta os possíveis nãos do universo quando este desperta com ressaca. Dance tal Urano, ao contrário de todos os planetas. E ainda admire o inadmirável mesmo em miradas opacas ou ares gélidos. Cruze os dedos com o destino, mova a roda da fortuna e os elos da sorte. Cada qual tem seu norte e a companhia que conserva no horizonte. Admire suas pupilas e fale com elas, admire-se com sua força, destreza e vitória. Erga-se à gloria. Desate os fios da pena, do sabor ágrio das virtudes clichês. Brilhe diferente, brilhe néon, seja a Alcione da sua constelação. Flerte com Venus, Apolo e terráqueos. Rompa as fronteiras da realidade, do esquecimento e da verdade. Impermanente. Dormente e pouco estática. Destrua o relógio e seja alheio ao tempo, navegue impaciente e revoltoso pelos mares das suas infindáveis possibilidades. Expanda-as ao máximo.  Use todas as arestas do seu cérebro e mantenha o coração faminto.  Atualize-se à melhor versão de si mesmo.

 

Leave a reply