A ilha

abril 5, 2014 CrônicasPortuguês  One comment

ilha1Quando você precisa deixar a vida fluir e o universo decorar a casa. E você se pergunta   se as estradas colidem, se cruzam ou se unem. De novo, novamente, pleonasticamente, no vento ou na tempestade.  E fica uma sensação estranha de impotência quando você nota que não conseguiu doar seus pertences mais valiosos. Suas joias mais raras.

Quando você acredita que passou em branco sem salientar nem um nódulo  na  consciência  alheia. Quando você especula que não conseguiu desatar nenhum nó da rede e dos elos daquela realidade.

Que não aflorou a essência da vida ou um reflexo dela na mente em foco.

Talvez seja falta de generosidade consigo mesmo. Notar que recebeu bastante e não somou à altura.  Que aquela peça estava no lugar exato do seu tabuleiro. Mas seu mar foi não navegável àquele marinheiro.
Tentarei então  ser uma ilha, onde você possa sempre retornar e…
Descansar.

One comment to A ilha

  • Gabriella  says:

    Amei! #semmais

Leave a reply


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>