Archivos por mes junio 2018

Belamente louco

junio 14, 2018 Poesia  No comments

 

Se de todo louco.  Se herdasse um pouco. Da descordura de ser. Servente e serviente. Da anormalidade requerida. Por um coração livre, em alma desabotoada. Toada desvestida. De aparências esperadas. Pelo lógico, obvio, aceitável ou corriqueiro. Se o isqueiro acendesse as mentes. Dementes e indelentes. Seres dormidos. Esquecidos da real essência. Aguda ou crônica. E essa crônica. Fosse uma ode a loucura. Congênita ou adquirida. Grande magia. Ou nirvana de poucos. E se a insana lucidez fosse a perene e indelével- Frequência equânime. Almejada. Vértebra ao vento. Sentimento orgânico – não adulterado. Se de todo louco. Se aprendesse um pouco. Se louvasse o outro. Que não julga. Que se expõe. Que sobrepõe. Razão e pensamento. Em compartimentos espaçados. E se o passado resultasse em algo...

Leer más

As suas escamas no mercado de pronta entrega. Quanto vale?

junio 8, 2018 CrônicasPortuguês  No comments

Cuanto custa? Cuanto custa a total entrega, a real inversa de desnudar o interior? Se é que é possível, se desfazer de todas as cascas e envoltórios da superfície. Cuanto custa a profundidade? Lançar mão do risco, riscar o corpo e a alma no abismo. Desprovido de etiquetas ao redor dos sentimentos ou camadas sub protetoras. Quanto vale o bungee jump de individualidades, sem o jogo de vaidades ou adereços rasos de conquista torpe?

Quanto vale? As suas escamas no mercado de pronta entrega ou encomenda , pescaria ou modelo vivo para  mãos afoitas de outrem. Quanto vale? 

Quanto vale cada rima, cada esgrima que possa penetrar-te as entranhas ou garantias controladas na embreagem...

Leer más