Archivo diario julio 16, 2014

O Universo sabe, desde o seu primeiro choro…

julio 16, 2014 CrônicasPortuguês  No comments

AOS CEGOS

Cada qual sabe onde lhe aperta o calo. E os sonhos que acalenta trancafiados nos bolsos enterrados do  dia-a-dia. De que serve  o tempo que gasta, ou gastaria levantando uma bandeira que diga “Olhe o meu valor”? Bullshit. Recicle, transmute.

O Universo sabe, desde o seu primeiro choro, o seu valor. O Cosmos espera que você abundantemente retribua o que lhe foi dado. Não é aos cegos que deves mostrar a jóia rara em estado de início de primavera que se avizinha. Esqueça os cegos. Muitas vidas virão, até que eles possam compreender metade do que dizes.

A você, consciente do valor próprio, mãos à obra, sonhos na mesa e fé no cérebro. Disciplina na cara e não esmorecer por terceiros, típicos ladrões de sonhos...

Leer más

Esqueça tudo o que viveu até agora…

julio 16, 2014 Português  No comments

Miragem deserto

Espera a flor se abrir ao teu riso.
Convida a espuma a banhar teu corpo.
Espere que as estrelas venham seduzir a noite.
Piano, onde a calma se mescla com a brisa
e a noite é fresca e adocicada.
Quando os odores se somam em uma mistura inigualável.
Espera que entrelacemos os dedos
e a rotina seja azul e indolor.
Espere o vício te assaltar no meio da noite
ou na hora do café.
E que teu corpo manifeste sinais de abstinência
quando distante da minha derme.
Esqueça tudo que viveu até agora,
olvida os lençóis que roçaram a tua pele.
Um mundo inebriante e hipnótico se avizinha.
Uma miragem se apresenta no deserto.
Você pode tocá-la?

Leer más